Quênia, Africa

O Quênia, atravessado pelo equador, está localizado no leste do continente Africano, tendo vizinho Sudão do Sul, Etiópia, Somália, Tanzânia e Uganda. Para o leste, faz fronteira com o Oceano Índico, por cerca de 536 km. Mount Kenya (5199m) é o ponto mais alto e Tana é o seu rios mais longo. Sua capital e maior cidade é Nairobi. As línguas oficiais são Swahili e Inglês. Parques nacionais e reservas representam 8% da área total do território e a principal atração turística do país. O país conta com 26 parques, 34 reservas e 5 santuários. O Parque Nacional do Monte Quênia, o Parque Nacional Lago Nakuru, o Parque Nacional Sibiloi, o Parque Nacional de Ilha Central e o Parque Nacional da Ilha do Sul (os três últimos são os parques nacionais do lago Turkana); estão listados como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

Dicas

A melhor maneira de visitar o país é com um guia local, isoladamente ou em grupos. Normalmente, os grupos são formados de 4 ou 5 pessoas, com um guia. Existem vários operadores turísticos que oferecem várias opções e diversidade de habitação.
O país é conhecido por turistas que vão fazer foto-safári.

Ait Ben Haddou, Ouarzazate, Marrocos

Ait Ben Haddou é uma kasbah ou aldeia do Vale Ounila, ao sul de Télouet na província de Ouarzazate. Este vale foi uma passagem tradicional de caravanas que liga Marrakech com la região saariana. É um verdadeiro exemplo da arquitectura tradicional de Marrocos do sul, que fica no lado de um monte por cima do qual havia um sótão colectivo (um agadir). Há como um conjunto de edifícios de barro cercado por paredes, o Ksar, que é um tipo de habitat pré-saariano tradicional. As muralhas são reforçadas com torres de canto e as casas são agrupadas dentro, as mais antigas das quais remontam ao século XVII. Em torno dele, um grupo de aldeias se reúnem ao lado do rio que atravessa o vale. As pessoas, de origem nômade, são na sua maioria berbere. A aldeia está inscrita no Património Mundial da UNESCO. Para os amantes de cinema, muitos filmes foram feitos neste maravilhoso local tais como Lawrence da Arábia, Jesus de Nazaré, Sodoma e Gomorra, o diamante do Nilo, A Múmia, Gladiador, entre outros.

Dicas

Há duas maneiras para acessá-lo, essa do ‘turista’, permitindo-se ser ajudado pelas crianças à espera de turistas para atravessar o rio pequeno sobre sacos de areia em troca de umas monedinhas ou por uma ponte construída nos últimos anos que não vai lhe causar problemas no caso de ter um pouco de difícultade para subir a pequena colina ou para pessoas com mobilidad reducida.
Se você insistir em tirar fotos com os moradores, sempre pedir sua permissão, lembre-se que este é o seu lugar e nós, somos apenas os visitantes …
Você vai encontrar alguns artesãos e como de costume, você tem que negociar o preço antes.

Dormir num bivouac, deserto do Saara, Marroccos

O ‘bivouac’ ainda é uma forma de alojamento para muitos povos nômades do mundo. Este conjunto de vários “Khima” (tendas nómadas) oferece hoje uma maneira muito conveniente de alojamento para os amantes do deserto. Em Marrocos, existem vários que recevem aos turistas para uma experiência única. Hoje falamos de um acampamento no deserto do Saara que foi alcançado a partir de Zagora. O caminho é normalmente organizado com passeio de dromedário que leva cerca de uma hora e meia ou duas horas . Quando você chegar ao conjunto de tendas nómadas, os berberes (povos indígenas) recebê-lo na sua casa com chá e biscoitos caseiros. Eles vão mostrar-lhe as barracas que estão bem equipadas com eletricidade e serviço de duche e WC que estão normalmente fora das barracas. Há uma grande tenda que é a sala de jantar e em torno se alinham todas as outras tendas que fazem um espaço retangular no meio. Você vai ter uma refeição típica “tagine” com frutas e doces locais. Após a refeição, a vida continua ao redor da fogueira com entretenimento indígena, música e dança esperam por você entanto você assistir a um céu negro repleto de estrelas e até mesmo estrelas que caem que vão tirar o seu fôlego. Você ir para a cama com a idéia de ver o nascer do sol no dia seguinte, então você deve estar preparado para subir a grande duna em torno das 5:30; realmente vale a pena !!! Em suma, uma experiência a ser vivida pelo menos uma vez na vida …

Dicas

Se você não quiser fazer a viagem de dromedário, você também pode fazer numa 4×4.
Se você não fazer o passeio organizado, você pode pegar o pacote com uma das agências na estrada do deserto. É melhor fazer uma reserva de manhã.
Você pode trazer uma pequena mala ou uma mochila para a sua noite no bivouac especialmente se você ir de dromedário, assim que tomar o que é realmente necessário. Não se esqueça de trazer um casaco ou jaqueta um pouco mais quente porque a temperatura na noite desce um pouco. Na tenda não faz frio.