Templo do sol, Cuzco, Peru

O templo do sol ou Coricancha (rodeado de ouro em quechua), era o lugar mais sagrado do Império dos Incas. É a Coricancha que o sistema de Ceques brilhava, composto por linhas imaginárias de quarenta e um, ao longo do qual se encontravam 328 huacas (edifícios), espalhados de um e de outro lado do Tahuantinsuyu (o nome que os incas deram ao seu império, significando ‘a terra dos quatro tbairros’). Esta organização particular permitia o controle total do Império de Cuzco. É a Cuzco exatamenteque foram encontrados restos substanciais deste edifício que foi cenário de importantes cerimónias dos governantes Incas; ceremonias sagrado, funerais, casamentos,. É lá que as múmias foram preservadas, sentadas em tronos de ouro. Seus grandes muros de pedra, con estilo inca, medindo 140 m de comprimento e 135 m de largura; estavam ricamente decorados. Os cronistas espanhóis têm abundantemente falado das suas fabulosas riquezas, até que eles tenham sido derretidas ou espalhadss. O borde do templo, com ss paredes pintadas de azul, estava adornado com uma enorme moldura de ouro, portas, altares, estátuas, foram decorados com placas de ouro e prata, as vezes incrustados com pedras preciosas, refletindo a luz do dia e a noite a luz das tochas. A porta do santuario foram adornadas com padrões de ouro e prata. Acima do altar, brilhando se encontrava um grande disco de ouro, que representava o sol; graças a sua posição estratégica, os raios do sol nascente o batevam e o faziam brilhar. A chegada dos espanhóis, fizeram que as placas douradas que cobrevamm as paredes foram rasgadas e as múmias dos antigos Incas foram profanadas. As unicas coisas que permaneceram em pé, foram as fundações que, pouco tempo depois, serviram como base para a construção da igreja e o convento de Santo Domingo.

Dicas

Cuzco é localizado a uma altitude de 3.400 metros. Tenha conta que durante a noite é frio, mas no dia, especialmente a partir de abril a outubro, há muito sol então você deve ser cuidadoso para evitar ter um colpo de calor. Óculos de sol e protetor solar são adequados.

Catedral de Santiago de Compostela, Espanha

A catedral de Santiago de Compostela, dedicado ao Apóstolo Santiago de Zebedeu (santo padroeiro e protetor da Espanha) é uma catedral situada no centro histórico da cidade de Santiago de Compostela, propósito de uma das grandes peregrinações da Europa medieval; caminho iniciático em que as pessoas seguiram o rastro da Via Láctea. No início do século IX, Alfonso II tinha construído a primeira igreja; em 899 Alfonso III substituiu-o para uma maior igreja pré-românica. A actual catedral é um edifício românico construído em granito, cujos trabalhos começaram em 1075 e foram concluídas em 1211. É dedicada à adoração das relíquias e à peregrinação. As duas torres da fachada ocidental (barroco churrigueresque) são da Idade Média, a sua escadaria monumental é de 1606. As suas capelas formam um museu de pinturas, esculturas, relicários e retábulos acumulados ao longo dos séculos. A catedral tem um plano de três naves, transepto com um grande corredor e estandes e um santuário com ambulatório cercado por um anel de capelas. O plano original teve adições do Renascimento e do Barroco. Uma sumptuosa estátua de Santiago está no altar-maior; a cripta está abaixo com os restos do santo e seus discípulos, São Teodoro e Santo Atanásio. O ambulatório, os belos portões, a abóbada da Capela de Mondragón, a porta da sacristia do renascimento e o claustro são os itens de maior destaque. Acima do transepto da catedral está uma torre de lanterna, em cujo ápice está pendurado por cabos de aço um incensário de bronze de 54 quilos, que é usado em cerimônias especiais como nos anos Compostelanos. O tesouro está alojado em uma capela gótica no transepto sul da catedral; ele tem um tímpano representando a figura equestre do Apóstolo (século XIII). O rei da França, Charles V tinha feito um dom muito importante para que seja celebrada a missa diária para a prosperidade da França, por isso a capela de San Salvador é também conhecida como a Capela do rei da França; este é o lugar onde os peregrinos depois de confessados, recebiam a Compostela; certificado de peregrinação.

Dicas

Os peregrinos podem ir beijar o manto sagrado por uma escada que está atrás do altar.
Você também pode visitar a biblioteca ( parte do museu da catedral) que exibe os incensários e tapeçarias, assim como as peças encontradas nas escavações.
Os arquivos da catedral tem uma cópia do Codex Calixtinus (conjunto de textos datados de 1140 ); nos textos é possível encontrar conselhos práticos para os peregrinos .

Basílica de Saint-Denis, Saint-Denis, França

A Basílica de Saint-Denis é uma igreja gótica no centro da cidade de Saint-Denis, em Seine-Saint-Denis, 5 km a norte de Paris. Ela era originalmente abadia mas hoje é a Catedral da Diocese de Saint-Denis. A antiga abadia real está associada com a história do mundo franco; ela foi nomeada “Basílica” a partir do período merovíngio. A igreja fica no local de um cemitério galo-romano, lugar do enterro de Saint Denis martirizado em 250. O transepto da igreja da abadia de magnitude excepcional, foi destinado a acomodar os túmulos reais: é a necrópole dos reis de França. Está rodeado por um jardim que é parte da classificação de monumentos históricos. Hoje a basílica é dividida em três áreas, as dois primeiras das quais estão abertas ao público: a nave e os corredores que servem a função de igreja e onde as cerimônias católicas são realizadas; transepto, coro e ambulatório, e a cripta onde há um museu com os túmulos dos reis e rainhas da França, juntamente com vários de seus servos. Pode-se encontrar os túmulos de Louis XII, François 1, Ana da Bretanha, Henry II, Catarina de Médici, Claude de France, entre outros; a cripta arqueológica que contém os túmulos mais antigos do monumento ao período merovíngio para a maioria, e do suposto túmulo de St. Denis e lapidar da basílica no antigo laranjal e jardim (com a abside), onde há muitas peças que poderiam ser desenvolvidas como parte de um espaço de exposição.

Dicas

Você pode visitar a basílica de metro (linha 13) estação Basílica de Saint-Denis. A basilica fica a 400 metros da saída da estação.
Se você quiser visitar o museu, verificar com antecedência porque ele é fechado quando há cerimônias.
Você pode tomar um dia para visitar a basílica e aproveitar a oportunidade para passear. Há muitas lojas e restaurantes e cafés agradáveis para fazer uma pausa. Se o tempo permitir, você também pode desfrutar de belos terraços.
Olhe para o calendário de atividades da igreja, porque há vários eventos que acontecem durante todo o ano.